No celular, por favor – a tendência do m-payment

*Por Ronaldo Yoshida, gerente de Produtos da Accesstage
Ao final de uma compra, geralmente ouvimos: dinheiro ou cartão? A resposta, no entanto, pode ser “no celular, por favor”. A mobilidade já é uma realidade de mercado. Muitas empresas adaptam seus negócios para este modelo ou, então, já nascem desta forma. O mesmo começa a acontecer com o mobile payment. Aos poucos, esta categoria se confirma como prática. Nos aplicativos para pedir táxi, por exemplo, os usuários efetuam o pagamento, seja através de cartão de crédito ou débito, direto no dispositivo. E isso torna-se cada vez mais comum.
mobile-payments
Grandes bancos investiram no desenvolvimento de aplicativos mobile, assim seus clientes não precisam, necessariamente, ir até uma agência para efetuar operações como pagamentos de boletos, contas de consumo e/ou transferências. Segundo dados do Banco Central, a utilização de dispositivos móveis em transações bancárias cresceu 2.275% nos últimos cinco anos. Esse aumento supera até mesmo o atendimento pela internet, com crescimento de 135% no período – o que corresponde, atualmente, por 40% das operações realizadas. É uma grande oportunidade já que as pessoas querem mais mobilidade para diferentes aplicações.
Nos Estados Unidos, de acordo com o eMarketer, a expectativa é de que 23.2 milhões de pessoas utilizem o m-payment ainda este ano. Em 2016, este número deverá crescer 61.8%. No caso do mercado brasileiro, o mobile payment ainda precisa evoluir para que o conceito vire, de fato, parte do nosso dia a dia. Um ponto importante é com relação à infraestrutura e ao desempenho das redes móveis. O Gartner aponta que o tráfego global de dados móveis deve atingir 52 milhões de terabytes em 2015. A consultoria aconselha, inclusive, que os prestadores de serviços repensem suas infraestruturas de dados para conseguir atender todas as necessidades dos consumidores. Ou nos preparamos para absorver a demanda ou a experiência do usuário será diretamente afetada.
E sabemos, o UX (User Experience) é ponto fundamental nos dias de hoje. Se ao efetuar um pagamento através de seu dispositivo móvel, a operação falhar uma, duas ou três vezes, o usuário não tentará novamente. Isso é um fato. Atender as expectativas do cliente é essencial. Até mesmo com relação à segurança. Muitos ainda se sentem inseguros em efetuar pagamentos em aparelhos celulares. É praticamente uma questão cultural que deve ser contornada pelas companhias entrantes deste mercado.
Os desafios são muitos, mas as oportunidades de negócios são ainda mais numerosas. O mobile é uma tendência que não vai passar. Ela veio para ficar. Uma vez que todas as empresas derem este primeiro passo, a jornada não terá volta. Resta saber se a sua organização está preparada para este novo momento. Porque, senão estiver, é hora de começar a planejar.

Leave a Reply