A ansiedade da geração Y, produtividade, e a gestãodas empresas.

ansieda

A ansiedade está em níveis insuportáveis. A demanda caótica e a gestão desalinhada aparecem como os grandes vilões, além do cenário atual incerto e novas demandas da geração Y.

O centro de pesquisas da Weigel Coaching realizou no último trimestre de 2014 uma pesquisa com 1.280 profissionais de todo país. De forma significativa, a incapacidade de lidar com a ansiedade revelou-se como o grande obstáculo para a produtividade.

Segundo os entrevistados 9% das pessoas estão em colapso emocional, 44% altamente ansiosas. Apenas 10% estão em estado de equilíbrio. Estado de ansiedade contínuo traz transtornos de ordem física e mental. O estado mínimo de equilíbrio emocional é um estado que na maior parte do tempo nos mantém em pleno funcionamento, em plena capacidade, capazes de resistir a pressão externa sem sofrer abalos perturbadores, quase impensável para a maioria dos profissionais.

13% das pessoas estão muito satisfeitas com sua carreira mas não se sentem engajadas com a proposta das empresas que os contratam cujos planos estratégicos atendem somente o interesse dos acionistas. Entre os fatores que causam a insatisfação no trabalho, aparecem novamente, o estado ansioso do ambiente com 27%, problemas com a gestão do tempo com 25%, questões ligadas à remuneração com 21%, alta demanda com 16%, e por último, pressão por resultados com 11%.

O estado ansioso pode ter diversas causas e tem inúmeros efeitos. A falta de transparência e clareza na gestão, mudanças constantes no planejamento, dificuldade em negociar prazos e estabelecer limites, demanda desordenada, falta de clareza na definições de papéis e responsabilidades e ausência de acordos entre as pessoas na linha de produção. Não há relacionamentos ou conversa de forma estruturada e construtiva no ambiente de trabalho.

A gestão do tempo virou uma patologia, políticas antigas tornaram-se barreiras da lógica e da produtividade, e o RH vem sendo apontado como não ciente de seu papel atual. Profissionais querem participar do negócio. Empresários precisam abrir a cadeia lucrativa e compartilhar sua obra não mais apenas lucrar através de sua rede. Este é o modelo sustentável moderno. Bons profissionais não assistirão mais diretores ou acionistas com uma vida farta enquanto eles trabalham arduamente para ficar com uma parte insignificante.

Como será que cada empresa, cada gestor, e o mercado em geral irão agir? Só o tempo dirá…

Sucesso!

Abs,

Alex

One Response

  1. Nico 11/09/2015 Reply

Leave a Reply