Gestão por Restrição ou Gestão por Resultado

“Sua empresa restringe acesso à sites de relacionamento, mídias sociais, ou mensagens instantâneas?”

“Você é a favor ou contra as restrições de acesso?”
*(Provavelmente se você for um gestor é a favor, se você for um colaborador, é contra…rs)

Mas para você, gestor, que é a favor de uma gestão através de políticas de restrições, deixarei minha opinião neste post para uma reflexão…

Bom, se você acha a que a produtividade da sua equipe é afetada pela utilização destes sites e ferramentas, você está correto!

Mas, se você acha que uma política de restrição vai adiantar alguma coisa… você está enganado…

Pode até melhorar um pouco a produtividade, mas vai diminuir a satisfação do membro da equipe, podendo até afetar o comprometimento, isto mesmo, comprometimento…  ele pode se sentir como apenas mais uma de mão de obra. E pessoas felizes e motivadas produzem mais e melhor.

Além disso, existem inúmeras maneiras de burlar o bloqueio de sites… sem contar o aumento do uso dos smartphones para acessar orkut, facebook, twitter, msn, gtalk, skype, etc.

Ao invés disso, por que não diminuir (até eliminar) as restrições e motivá-los pelo resultado??

Qual o problema se ele acessa o Facebook para comentar uma foto de um amigo, ou trocar algumas mensagens rápidas para marcar um cinema com a namorada, se o resultado do trabalho dele foi alcançado e o objetivo da equipe foi atingindo?

Para isto é necessário que a comunicação esteja bem clara. Qual é o objetivo da equipe? Qual é o resultado esperado dele?

“O que” é esperado dele, até “quando” é esperado, com “qual qualidade” é esperado dele.

Mostre, explique, convença…. Lidere eles, mostrando que todos tem esta “liberdade”, por alcançar os resultados e atingir os objetivos.

Para uma empresa o que importa é o resultado, está correto? Por isso a importância do alinhamento estratégico da empresa com toda a “gestão” e “operação”.

Claro que sempre haverá “excessos” de um ou de outro… Neste caso, temos duas possibilidades:

  1. Ele está se excedendo, e não está alcançando os resultados:
    Converse com ele. Mostre que os resultados esperados dele não estão sendo alcançados, e que este excesso pode estar influenciando, seja direto, claro e objetivo. Veja se ele está com algum problema particular, verifique se ele está encontrando alguma dificuldade, algum obstáculo. Às vezes, as pessoas “fogem” quando encontram alguma dificuldade. Caso ele não tenha nenhum destes problemas, demita… definitivamente ele não é um bom profissional.
  2. Ele está se excedendo, mas alcançando os resultados:
    Está na hora de rever como está definindo os resultados, ou será que não está desperdiçando um colaborador potencial, fora da curva? Não é questão de passar mais serviço para o rapaz, é questão de estar fazendo atividades de baixa complexidade para a alta capacidade (Em outro momento, vou fazer um post, somente sobre potencial humano). O que eu quero dizer, é que não somente na questão de quantidade de serviço, mas também na complexidade. Cuidado, pessoas sub-utilizadas podem se sentir insatisfeitas e tornar-se desmotivadas. Pare, é hora de avaliar.

Com isso, teremos pessoas trabalhando com mais satisfação, gerando melhores resultados… Pode apostar!

Desculpe a ausência prolongada, conforme meu post anterior, fiz minha reflexão, e tive que mudar a rota para ir em direção dos meus objetivos. Vou procurar escrever com maior frequência.

Abraços,

Alex

Leave a Reply